SEMANA DA GREVE GLOBAL PELO CLIMA

Na sexta-feira passada fechámos os nossos escritórios e aderimos à manifestação estudantil “Fridays for Future”.
Por todo o mundo, mais de 4 milhões de pessoas foram para a rua para lutar pela mesma causa.
A semana da Global Climate Strike continua e na próxima sexta-feira haverá manifestações em várias cidades portuguesas.

Foto: Markus Spieske (unsplash)

Foto: Markus Spieske (unsplash)

Enquanto os líderes da ONU se reúnem para discutir a emergência climática da Terra, o mundo tem-se feito ouvir. Em todos os Continentes, as pessoas têm-se juntado na Global Climate Strike para protestar contra as calamidades causadas pelas industrias que movem as maiores economias do planeta.

O que começou como um movimento de estudantes depressa ganhou o apoio daqueles que procuram a ação dos politicos que podem criar as regras para ajudar a reverter os danos causados. 

Natureza pura - já uma raridade!

Natureza pura - já uma raridade!

Mas também temos de fazer a nossa parte. A industria têxtil é das mais poluentes e por isso devemos repensar os nossos hábitos de consumo. É imperativo reutilizar, reparar e recoclar as nossas roupas para melhorar o planeta.

A industria têxtil é um dos motores da economia Portuguesa, e apesar nãp ser uma grande fonte de poluição, as práticas desatualizadas de algumas empresas contribuem certamente para as emissões do País.

A poluição das águas e o plástico nos Cceamos são apenas uma pequena parte do problema. Nós tornamos a tarefa de produzir mudanças uma missão para a nossa empresa e exigimos às fábricas mudem também os seus comportamentos e formas de produção. Se lutarmos juntos, podemos quebrar com as velhas estruturas.

Andar descalço é a melhor forma de nos conectarmos com a Terra e sentir o seu suspiro de vida. Mas se as Nações continuarem a poluir como têm feito até agora, o seu último suspiro pode estar próximo. Uma das razões por que fazemos os nossos sapatos minimalistas é para que te possas conectar com o ambiente e deixar uma pegada positiva no campo e na cidade.

É a pensar no ambiente e na saúde que selecionamos materiais naturais, orgânicos e locais. Não nos empenhamos apenas em respeitar a natureza, mas também os recursos humanos, e por isso as condiçoes de trabalho justas fazem parte das nossas práticas.

Além disso, podemos garantir que todos os materiais usados na construção dos nossos sapatos minimalistas, como a borracha e o algodão, são naturais ou reciclados, e que os processos usados, como o  tingimento com pigmentos de certificação GOTS, são não-tóxicos.


Se acreditas na mudança, como nós, junta-te à manifestação mais próxima ou publica uma foto dos teus Mukis com a hashtag #mukiclimatestrike para te juntares ao movimento.